trabalho em grupo

Trabalho em grupo: por que é importante para crianças e adolescentes?

Desde os primeiros anos, muitas das atividades práticas escolares envolvem o trabalho em grupo. Para as crianças pequenas, podem ser tarefas manuais e artísticas; para os mais velhos, pesquisas e apresentações. Até no ambiente digital ele aparece, com a avaliação feita por ferramentas de ensino.

Muitos alunos apenas aceitam que o trabalho em grupo existe, outros aguardam ansiosos pela possibilidade de se dedicar a uma tarefa com os amigos. Mas qual é a importância dessa habilidade no desenvolvimento pessoal e profissional das crianças? Siga a leitura para compreender melhor o tema!

Melhorar as relações interpessoais

A integração entre estudantes faz parte do desenvolvimento de crianças e adolescentes. É um preparo para a vida, já que eles terão que lidar com pessoas em diversas situações: na família, no círculo de amizades, no trabalho, na faculdade etc. O trabalho em grupo assume esse papel de colocar os alunos frente a frente, com objetivos em comum.

Sobretudo neste período em que a tecnologia na educação foi reforçada pelas medidas de distanciamento, manter boas relações interpessoais se tornou uma necessidade. As crianças e adolescentes longe da presença diária de seus amigos podem sentir menor disposição para o aprendizado –– algo que o trabalho em grupo é capaz de melhorar.

Sair da zona de conforto

O trabalho individual é muito importante, disso ninguém duvida. Essa autonomia para tomar decisões oferece destaque à vida de uma pessoa, principalmente no quesito profissional. E é bastante cômodo seguir dessa forma, desenvolvendo essa habilidade que só depende de você. Mas nem sempre será possível fugir da colaboração em equipe –– e seu filho precisa saber disso.

Sair da zona de conforto é combustível para a criatividade. As crianças e adolescentes já têm essa habilidade aflorada, mas podem deixá-la em segundo plano nos trabalhos escolares, por comodidade. Ao precisar lidar com os colegas na atividade, automaticamente terá que pensar em soluções diferentes e inovadoras.

Respeitar as diferenças

Você sabia que existem inteligências múltiplas? Alguns estudantes têm familiaridade natural com a lógica-matemática, enquanto outros preferem a linguística. Da mesma forma, há diferentes pensamentos, modos de encarar as responsabilidades e prazos, prioridades etc. Em suma, as pessoas não são iguais, o que reflete na dinâmica do trabalho em grupo.

Durante a atividade, as crianças e adolescentes precisam expressar suas opiniões, lidar com as diferenças e chegar a um consenso. Afinal, se as decisões são tomadas por um único integrante, não configura um trabalho em grupo, concorda? Isso nos leva ao próximo tópico.

Estimular a resolução de conflitos

E quando surgem as discordâncias, o que fazer? Pedir ao professor para dissolver o grupo e oferecer alternativas individuais à entrega do trabalho? Essa não é a resposta, e os estudantes devem compreender bem o motivo. Na vida e no ambiente profissional, fugir de problemas não é uma opção, mas sim a resolução do conflito.

Novamente, o importante é sentar, expor todas as opiniões de forma respeitosa, debater as possibilidades e chegar a um acordo. É ideal que cada integrante ceda um pouco para incorporar as diferentes visões no trabalho. Não é uma competição, mas uma série de contribuições. Os seus filhos têm muito a ganhar se aprendem isso desde cedo. 

Desenvolver o senso de cooperação

Durante um trabalho em grupo, a contribuição de um participante pode ser decisiva para a atribuição de outros. Se uma das partes falha, as outras podem ser impactadas. Esse senso de cooperação é importante para ressaltar a responsabilidade e o compromisso com a tarefa a ser realizada.

Muitos estudantes são menos motivados e acabam não produzindo tanto quanto os demais. Com isso, seu nome aparece nos créditos, mas a sua contribuição deixa a desejar. Seus filhos vão encontrar cenários como esse e podem se frustrar. Nesse momento, esteja presente para, junto aos professores, mostrar que nem por isso a criança deve se dedicar menos à atividade. 

Incentivar a expressão de opiniões

Muitas crianças e adolescentes costumam esconder a sua opinião na frente de amigos ou colegas, sobretudo os mais introvertidos. Preferem seguir o que a maioria fala por medo de errar, receio do enfrentamento ou pela falta de ânimo da defesa dos próprios pensamentos. Mas isso cria uma bola de neve, que se expressa em insegurança e inércia no futuro profissional.

Tanto a escola, que é a realidade atual de seus filhos, quanto o mercado prezam bastante por quem sabe se posicionar. Eles vão aprender que a forma com que o fazem impacta na recepção da mensagem e que, vez ou outra, haverá discordância –– o que é normal quando se trabalha em grupo.

Estimular a boa comunicação

Assim como trabalhar em equipe, a comunicação é uma das habilidades profissionais mais valorizadas no mercado. Ela se expressa na capacidade de se expressar de maneira clara, para que os outros compreendam a mensagem transmitida. Também envolve características como eloquência, tom de voz, respeito na fala e assim por diante.

Nos trabalhos em grupo, os integrantes precisam se comunicar o tempo todo, desde o primeiro contato com o enunciado proposto. Devem decidir quais as responsabilidades de cada um, os métodos de pesquisa, os prazos, entre outros. Uma pessoa com boa comunicação é aquela que fala no momento oportuno, sem atropelar ou interromper as outras.

É também aquela que não se cale diante de quaisquer divergências –– e, aqui, a habilidade se conecta às demais que vimos neste conteúdo. Nesse sentido, os pais têm muito a contribuir no desenvolvimento das crianças e adolescentes. A comunicação começa em casa, por meio dos bons exemplos.

A família pode trabalhar em equipe o tempo todo. Para reforçar essa habilidade, experimente dar mais responsabilidades aos seus filhos. Na hora do jantar, enquanto você termina os preparativos para a receita, peça ajuda para arrumar a mesa, por exemplo. Ao pagar as contas, chame-os para acompanhar e auxiliar na separação dos boletos. São pequenos passos que fazem toda a diferença.

O trabalho em equipe promove diversos benefícios para o desenvolvimento de crianças e jovens. Quando incentivado desde cedo, na escola, torna-se um hábito e não traz tantos desafios a eles no futuro profissional. O incentivo a essa e outras habilidades comportamentais é essencial na formação de cidadãos.

Gostou do conteúdo? Aproveite a sua visita e continue a leitura aqui no blog. Saiba a importância de desenvolver a consciência social em seus filhos!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.