saude mental infantil

Saúde mental infantil: como cuidar melhor da dos meus filhos?

Desde o início da pandemia, a saúde mental vem tendo cada vez mais importância no dia a dia de todas as faixas etárias. Com o isolamento social, por exemplo, as crianças deixaram de frequentar o ambiente escolar e passaram a realizar todas as atividades pedagógicas em casa com o apoio dos familiares.

O afastamento e a suspensão das aulas demanda cada vez mais a atenção dos responsáveis e da instituição de ensino. Até porque é fundamental garantir que os pequenos desenvolvam habilidades emocionais e sejam bem orientados para não sofrerem prejuízos no processo de ensino e aprendizagem.

Acompanhe a seguir e confira algumas dicas para cuidar da saúde mental infantil da melhor forma!

Qual a importância de cuidar da saúde mental infantil?

A saúde mental é impactada quando ocorre qualquer tipo de transtorno de conduta que afeta o comportamento da criança. Muitas vezes, os pequenos podem ter dificuldades para se expressarem e cuidarem adequadamente de suas emoções, justamente por estarem vivenciando uma fase de desenvolvimento única.

No entanto, sem a devida orientação, facilmente a criança pode sofrer influências negativas no processo de aprendizagem e em suas relações. Para evitar ao máximo a situação, é essencial que os familiares estejam sempre presentes e fiquem atentos aos sinais de pertubações que podem causar problemas na saúde mental infantil.

Os pequenos também estão suscetíveis à depressão, à ansiedade e a outros transtornos que impactam o bem-estar emocional. A diferença é que, ao contrário dos adultos, as crianças apresentam mais dificuldades para transformar os seus sentimentos em palavras, muitas vezes por não compreenderem as causas de suas emoções. 

Em vez disso, geralmente o pequeno apresenta crises de choro, isolamento dos amigos, queda no desempenho escolar e atitudes mais agressivas. Assim, sob qualquer sintoma ou sinal de desequilíbrio, os pais devem buscar rapidamente por um profissional especializado para orientar os filhos da melhor forma.

Como cuidar da saúde mental das crianças?

Mesmo com o apoio de um psicólogo, os familiares também devem colaborar para a superação do problema e com o sucesso do tratamento da criança. Sem isso, o pequeno pode agravar os sintomas e desenvolver distúrbios e transtornos graves que podem ser levados até a fase adulta.

A pandemia, por exemplo, trouxe diversos desafios para o processo de aprendizagem. Para evitar que os estudos sejam negativamente impactados, é imprescindível que os responsáveis se preocupem em manter tanto a qualidade acadêmica quanto o bem-estar e a qualidade de vida, para atingir um bom desenvolvimento infantil.

Confira, a seguir, algumas dicas para ajudar na manutenção da saúde mental das crianças da melhor forma.

Deixe as crianças se expressarem

Assim como os adultos, os pequenos também têm sentimentos que precisam ser expressados. Dependendo da idade, nem sempre eles conseguem exteriorizar o que sentem por meio da fala, mas isso não impede que apresentem sinais de dificuldade de outras maneiras.

Muitas vezes, as crianças manifestam suas emoções durante brincadeiras, jogos e no decorrer das atividades rotineiras. Com isso, os pais devem ter sensibilidade para captar as expressões e como os filhos se comunicam com o mundo ao redor, justamente para perceber se há reações e desconfortos.

Evite a sobrecarga mental

Dialogar constantemente com o pequeno é essencial para evitar que ele sofra com a sobrecarga mental em determinados momentos. Buscar acolher suas dores e suas angústias, portanto, é essencial para que a criança se sinta apoiada. 

Sem isso, possivelmente o seu filho pode vir a apresentar dificuldades de aprendizagem que tornam o desenvolvimento das atividades pedagógicas ainda mais desafiador. Assim, o indicado é estar sempre atento e ouvir o que ele tem a dizer, sobretudo em períodos de maior pressão e tensão.

Invente novas atividades para fazerem juntos

Com a pandemia e o isolamento social, muitos alunos sentem falta da convivência com os colegas e os professores. O problema é que esse tipo de vivência é essencial para o seu bem-estar e para o desenvolvimento de suas capacidades cognitivas e motoras. 

Por isso, é fundamental que os familiares se empenhem e inventem novas atividades práticas para fazer junto das crianças. Assim, elas podem se distrair e entender que o momento é passageiro, representando apenas uma fase difícil que vai passar em breve. 

Demonstre todo o seu apoio

É comum que os pais tenham preocupação com o desempenho escolar, sobretudo quando o pequeno não consegue expressar seus sentimentos. Por isso, é muito importante oferecer todo o apoio necessário nesse momento e buscar dialogar sempre que possível para entender suas emoções.

Em alguns casos, pode ser preciso contar com a ajuda de um psicólogo, que pode orientar adequadamente sobre o que fazer nessa fase. A saúde mental, sobretudo na infância, requer uma atenção redobrada dos adultos, assim, esteja aberto para acolher e para ouvir o que o seu filho tem a dizer.

Valorize as emoções da criança

Algumas pessoas podem pensar que o comportamento da criança é apenas uma fase e algo comum da idade. No entanto, todas as suas emoções devem ser valorizadas e devidamente assistidas, até mesmo para evitar impactos negativos no cotidiano e na aprendizagem.

Por isso, sempre que possível, busque conversar com os coordenadores escolares e com outros profissionais especializados. Eles têm larga experiência e podem auxiliar na superação das dificuldades, dando dicas e orientações relevantes para a melhora do processo educativo.

Ensine a solucionar problemas

Sem o apoio necessário, o pequeno pode perceber diversos obstáculos para resolver, por si mesmo, suas angústias. Assim, é importante conversar e ensinar a criança a solucionar problemas sempre que notar que há algo errado ou que seus sentimentos atrapalham a rotina.

Tentar esconder a realidade ou não dar atenção, por exemplo, não é o melhor caminho. Até porque o pequeno tem grande sensibilidade e percebe quando algo não vai bem ao seu redor. O diálogo constante é sempre uma das melhores indicações, pois assim os pais podem pensar em ações e intervenções eficientes para manter o bem-estar dos filhos.

Crie novas rotinas

Incentivar e criar rotinas variadas para o pequeno é essencial para que ele se sinta melhor e se distraia de emoções mais densas. A família pode, por exemplo, apresentar passatempos, jogos e brincadeiras que motivam a criança a se manter mais atenta ao momento presente.

Com a pandemia, muitos hábitos foram afetados, sobretudo os relacionados aos estudos. Assim, a indicação é de que os pais definam horários para cada atividade e acompanhem o desenvolvimento dos pequenos para perceber como respondem ao atual contexto de adaptação

Agora que você já sabe da relevância de cuidar da saúde mental infantil, é fundamental estar atento e perceber se o seu filho apresenta sinais de dificuldade em relação ao processo de ensino. Muitas vezes, o pequeno pode ter bloqueios para se expressar e não ter ânimo para dar continuidade aos estudos. Por isso, os pais devem estar sempre presentes e oferecer o apoio necessário para superar a situação.

Gostou do conteúdo? Aproveite a visita e entenda também como desenvolver as relações sociais na infância durante a pandemia!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.