rotina de volta às aulas

6 passos para organizar a rotina de volta às aulas

Com o fim das férias, mais um ano letivo cheio de novidades se inicia. Então, é hora de preparar a rotina de volta às aulas para que essa nova etapa comece com o pé direito e tudo transcorra com o máximo de tranquilidade possível.

Cada criança ou adolescente reage de uma forma diferente ao retorno das férias, especialmente se o novo período letivo representa alguma mudança significativa em sua vida. Por isso, os sentimentos se misturam ― medo, ansiedade, euforia, resistência etc. 

Tudo vai depender do momento do aluno e das experiências que ele teve ultimamente, como trocar de escola, enfrentar uma reprovação ou concluir um nível de ensino. Obviamente, cada caso exige um período de adaptação e atenção especial por parte dos pais e educadores, a fim de evitar traumas ou reações contrárias.

Então, preparamos este post com 6 dicas para que você torne a rotina do seu filho de volta às aulas bastante natural. Vamos lá?

1. Regular os horários de sono antecipadamente

Nas férias todos nós relaxamos da rigidez das regras do cotidiano. Mas uma escola tem horários a serem cumpridos, a começar pela entrada ― o que exige pontualidade. 

Se seu filho estuda no período matutino e precisa entrar por volta de 7h no colégio, não pode ser um tormento tirá-lo da cama. Sendo assim, dias antes do primeiro dia de aula ele deve começar a dormir mais cedo, para que seu relógio biológico se acostume aos horários de estudo.

O mesmo vale para quem estuda à tarde. Ainda que seu filho não tenha de se levantar muito cedo, ele precisa de uma rotina que permita estudar, fazer tarefas ou participar de algum curso ou atividade pela manhã. Portanto, também deve estar com o sono em dia.

2. Organizar o material e o uniforme escolar com seu filho

Organizar materiais e o uniforme são pontos importantes na volta às aulas. Convide seu filho para participar desse momento, ajudando a etiquetar cadernos, encapar materiais e separar o uniforme. 

Se ele estiver um pouco reticente com a escola, esse pode ser um estímulo para que comece a ver os pontos positivos do retorno aos estudos. Por outro lado, se o sentimento for de alegria, essa organização pode ser um grande incentivo para aproveitar ao máximo o ano que vai começar.

Em ambos os casos, ter contato com os materiais escolares e uniforme antes do retorno é uma forma de matar a curiosidade sobre o que está por vir e acalmar a ansiedade.

3. Criar um cardápio de lanches

Essa dica é especialmente para as crianças pequenas, que ainda levam lancheiras ― embora muitos pais de alunos maiores prefiram que os filhos evitem salgados e guloseimas das cantinas.

Para que não seja criada uma resistência ao lanche de casa, é importante que esse cardápio atenda ao gosto do seu filho, mas inclua os nutrientes necessários para ele garantir energia até a hora do almoço ou jantar. Então, deve incluir frutas, carboidratos, proteínas e alguma bebida, como suco ou água. 

Uma dica é pesquisar opções de lanche saudáveis e combinar com seu filho quais itens ele gostaria de levar para a escola. Feito isso, crie um cardápio semanal, assim você não perde tempo pensando em que oferecer de lanche a cada dia!

4. Usar o diálogo para reduzir a ansiedade

Seu filho está apreensivo ou com uma ansiedade negativa para a rotina de volta às aulas? A principal resposta para atenuar esse sentimento é o diálogo. Converse muito e procure saber qual é o motivo de tamanha apreensão.

Se houve algum evento traumático, como uma reprovação ou caso de bullying, é importante garantir conforto e estimular a autoconfiança para que tudo fique bem. Se você julgar que a situação vivida anteriormente precisa de atenção especial, não deixe de procurar o serviço de psicologia e a coordenação pedagógica para explicar o caso.

Assim, todos ― escola e família ― passam a atuar de forma coordenada na assistência ao aluno.

5. Levar seu filho para visitar a escola

A rotina de volta às aulas inclui uma nova escola? Não importa a faixa etária, é bem capaz que essa novidade também gere um pouco de apreensão, afinal, quem nunca teve medo do desconhecido? 

Se este for o caso do seu filho, uma saída para tranquilizá-lo é agendar uma visita. Nesse momento, ele terá a oportunidade não somente de reconhecer a estrutura, mas também de compreender um pouco mais sobre a rotina na instituição e conhecer alguns profissionais que estarão com ele no dia a dia.

Criar pontos de referência antes da volta às aulas é uma estratégia interessante para que ele saiba a quem recorrer, caso precise. No caso de uma criança da Educação Infantil, visitar a escola também ajuda na adaptação, uma vez que minimiza o impacto do “primeiro dia de aula”.

6. Ter participação efetiva na vida escolar 

Assim como os filhos precisam se adaptar à rotina de volta às aulas, é importante que os pais também reconheçam seu papel no processo de ensino-aprendizagem. Além de se estar ciente do calendário de atividades, conferir lições de casa, ajudar nas tarefas, ver agenda e participar de reuniões e eventos, é essencial que você converse com seu filho sobre o dia a dia.

Isso significa ir além de saber se “foi tudo bem”, mas, sim, tentar perceber como estão as relações com os colegas, se ele gosta dos professores, o que acha das aulas e da escola… enfim, se ele está feliz no ambiente educacional e tendo um bom desempenho.

Com uma conversa carinhosa você consegue que seu filho tenha mais confiança em você e se sinta confortável o suficiente para contar detalhes do dia a dia. Dessa forma, em caso de algum problema mais grave, é possível levantar informações para buscar ajuda da escola sobre o que está acontecendo. 

Como você pôde ver, pequenas ações podem fazer uma grande diferença para que seu filho comece o ano letivo de maneira positiva e se sinta estimulado a estudar. 

Demonstrar empenho para que o retorno à escola seja algo positivo é uma forma de fazer uma criança ou adolescente enxergar como a instituição é fundamental para seu crescimento como ser humano e o quanto essa experiência é valiosa.

Além disso, você acaba se aproximando mais do universo dele e tem maior participação em seu processo de ensino-aprendizagem. Essa postura é importante porque a parceria escola-família exige que os pais analisem os comportamentos dos filhos, vejam como eles se sentem na escola e o quanto estão aprendendo. Então, planejar a rotina de volta às aulas é uma estratégia importante quando o assunto é trabalhar a motivação aos estudos. 

Por falar nisso, se você gostou deste post, antes de ir embora não deixe de ler este outro conteúdo com várias dicas para saber como motivar seu filho a estudar!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.