redes sociais na adolescência

Redes sociais na adolescência: entenda como educar seus filhos

Muitos pais ficam preocupados com a influência das redes sociais na vida dos filhos. Essa apreensão tem sentido, uma vez que os jovens podem perder o foco nos estudos e na convivência com a família por ficarem bastante conectados com o mundo virtual.

Por outro lado, o uso das redes pode ser útil caso o adolescente aproveite esse recurso para obter mais conhecimento e interagir com pessoas que propiciem uma convivência saudável e enriquecedora.

Neste post, destacaremos fatores positivos e negativos da utilização das redes sociais na adolescência. Confira!

Fique atento aos benefícios

São muitas as vantagens que seu filho pode aproveitar. Se você está curioso em conhecê-las, é melhor não perder tempo em ler os próximos tópicos. Acompanhe!

Fazer novas amizades

Ao participar de um grupo no Facebook sobre como fazer uma boa redação no Enem, o aluno tem a oportunidade de interagir com outras pessoas com o mesmo interesse. Isso possibilita o início de amizades que podem ser cultivadas por muito tempo.

Desde que haja o devido cuidado em não se expor demais, o adolescente tem a chance de criar vínculos com novas pessoas. Isso, sem dúvida, contribui para torná-lo mais sociável e disposto a dialogar.

Adquirir conhecimento

A troca de informações é um dos aspectos mais interessantes em uma rede social, já pensou nisso? É possível, por exemplo, baixar livros que podem tratar de diversos assuntos, como história do Brasil, carreira, biologia, matemática etc.

O acesso mais fácil às informações facilita a aquisição de conhecimento, o que é muito importante para um aluno estar mais preparado e confiante para tirar boas notas em processos seletivos. 

Despertar a criatividade

A rede social na adolescência é um recurso valioso para despertar a criatividade. Você pode até não acreditar, mas visualizar um vídeo engraçado e um meme pode ajudar o seu filho a ser mais criativo.

Esses conteúdos podem servir de inspiração para um adolescente criar um canal no YouTube, em que aborda, por exemplo, a história de um ícone da música. O simples fato de sair da zona de conforto e se mostrar aberto a compartilhar conhecimento é um ponto positivo que merece ser levado em consideração.

Valorizar bons momentos

Quem não gosta de publicar fotos de ocasiões especiais no Instagram? Essa rede social é uma febre, no bom sentido, entre os mais jovens. Registrar e compartilhar momentos marcantes com os amigos e familiares é muito bom para a autoestima.

Uma visita ao museu com a turma do colégio é outro evento que pode ser guardado na memória por meio de fotos e vídeos. Essa oportunidade propiciada pelas redes sociais é algo que pode ser bastante explorado. 

Interagir mais com colegas de turma e professores

Um grupo no Facebook da turma na escola é uma alternativa interessante para ter um contato mais próximo com outros estudantes e docentes. Por outro lado, é essencial que sejam fixadas regras claras sobre os conteúdos a serem postados para evitar conflitos desnecessários.

As redes sociais são valiosas para identificar os interesses que as pessoas têm em comum. Isso, sem dúvida, facilita a interação e a criação de laços de amizade, o que é muito bom para a convivência dos estudantes.

 Contar com informações em tempo real

Ficar informado sobre acontecimentos importantes é mais um dos benefícios do acesso às redes sociais na adolescência. No Twitter, um aluno pode encontrar um post sobre uma notícia importante que pode ser tema da redação no Enem.

Usar as redes para filtrar os acontecimentos mais importantes do cotidiano é uma forma inteligente de adquirir conhecimento. Além disso, mostra que o aluno está aproveitando as fontes disponíveis de informação de maneira estratégica.

Preste atenção aos pontos negativos 

Seria bom que todos aproveitassem apenas as vantagens das mídias sociais. Porém, isso está longe de acontecer. São comuns os casos em que adolescentes sofrem consequências negativas pelo mau uso da tecnologia. Para ajudar a identificá-las, separamos alguns exemplos. Veja!

Ficar com a autoestima baixa

Adolescentes consideram importante ter muitos seguidores e curtidas nos posts publicados. Dependendo da maneira como um indivíduo enfrenta essa situação, é possível ficar com a autoestima baixa.

A intenção de ter mais destaque do que outros colegas pode levar à depressão. Para evitar isso, o recomendado é que os pais acompanhem de perto os filhos e monitorem o tempo de uso da internet.

Perder o interesse pelo diálogo

Ficar várias horas online pode ser responsável por um dos problemas ao acessar as redes sociais na adolescência: perder a vontade de conversar com amigos e parentes. Quando se dá muita importância ao que está publicado nas mídias, o jovem pode, em muitos casos, ficar apático e sem motivação para o diálogo.

Ao identificar esse comportamento no seu filho, o primeiro passo é restringir o acesso. Dependendo da situação, é preciso ajuda psicológica para reverter o quadro.

Ficar viciado em jogos

Para quem gosta de games, o Facebook é uma mão na roda, sabia disso? Muitos jogos estão disponíveis nessa rede social e os adolescentes aproveitam a oportunidade para ficar horas online.

Esse comportamento afeta não apenas a interação social, mas também a vontade de estudar e de fazer coisas básicas, como almoçar, dormir e até tomar banho. Por isso, acompanhe o que o seu filho está visualizando nas redes para não enfrentar esse problema.

Ter vício em compras

Somos bombardeados o tempo todo por ofertas atraentes na web, não é mesmo? Muitas empresas aproveitam o poder das mídias sociais para lançar promoções consideradas irresistíveis.

Esse cenário pode gerar algo que deve ser evitado: o vício em compras. Para prevenir que o seu filho passe por esse tipo de situação, o ideal é limitar o consumo de produtos pelas redes sociais.

Apresentar uma falsa ideia da realidade

À medida que um jovem se preocupa apenas em criar uma imagem positiva nas mídias sociais, maiores são as chances de ele ter uma visão distorcida da realidade. Em outras palavras, ele não pensa nas limitações e no que pode melhorar em termos pessoais e acadêmicos. Esse é um dos maiores riscos do uso das redes sociais na adolescência, pois é um fator que limita o crescimento e impede a pessoa de sair da zona de conforto.

Praticar o ciberbullying

O mau uso das redes tem como um dos piores exemplos o ciberbullying, que consiste na prática de ofender as pessoas por meio de fotos, textos e vídeos na internet. Essa prática causa danos à vítima, mas também indica que os autores precisam de apoio para não continuarem se comportando de forma nociva no dia a dia.

Para combater os malefícios do acesso às redes sociais na adolescência, uma alternativa interessante é elaborar um plano de estudos que mostre os pontos positivos de utilizar a tecnologia para adquirir mais conhecimento e fazer novas amizades.

Se você quer melhorar o desempenho dos seus filhos na escola, vale a pena conhecer iniciativas para motivá-los a estudar. O conhecimento é peça-chave para sermos mais inteligentes!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

1 Comentário

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.