pensamento computacional

Entenda a importância do pensamento computacional para o seu filho

As tecnologias fazem parte de diversos aspectos da sociedade. Dessa forma, tão importante quanto aprender a ler e escrever, os alunos precisam desenvolver o pensamento computacional. Estamos falando da capacidade de utilizar os fundamentos da computação para encontrar soluções e resolver problemas de modo estratégico, crítico e criativo.

Trata-se de uma habilidade que vai ajudar crianças e adolescentes em todas as áreas do conhecimento e também prepará-los para o futuro. Afinal, a alfabetização digital será essencial para que eles consigam enfrentar os desafios da vida e do mercado de trabalho.

Se você quer entender melhor sobre a importância de a escola trabalhar essa capacidade, vai gostar de conferir nosso post. Continue a leitura e descubra os benefícios do pensamento computacional para o aprendizado e o desenvolvimento do seu filho!

Lógica e resolução de problemas

O pensamento computacional vai desenvolver a lógica e a capacidade de crianças e adolescentes resolverem problemas de maneira simples e direta. Isso, porque essa habilidade é baseada em quatro pilares, que você entenderá a seguir.

Decomposição

Significa quebrar um problema complexo em pequenas partes, tornando-o, assim, mais fácil de resolver e fazendo a atenção se voltar para os detalhes. Com isso, você encoraja os alunos na busca por soluções criativas, reduzindo o medo e a ansiedade perante os desafios que enfrentarão nos âmbitos acadêmico e profissional.

Com essa vivência, eles ganham autoconfiança e têm mais chances de desenvolver suas potencialidades.

Reconhecimento de padrões

Trata-se da identificação de esquemas em processos diferentes, para que seja possível encontrar uma solução mais ágil e eficiente. Desse modo, é possível replicar a mesma ideia para situações variadas.

É uma habilidade em que os alunos são treinados a observar e interpretar tendências, inovando na resolução de problemas globais.

Abstração

É uma forma de analisar os processos, sabendo diferenciar o que é ou não relevante. A partir disso, crianças e adolescentes conseguem estabelecer prioridades, focar o que realmente é importante e desenvolver uma visão crítica.

Não há perda de tempo ou distração com os aspectos que podem ser ignorados, facilitando o desenvolvimento de uma solução aplicável de modo mais rápido.

Algoritmos

Pensamento que engloba todos os pilares citados anteriormente, pois é o processo de criação de um conjunto de regras (passos e configurações necessárias) para a resolução do problema.

Os alunos aprendem a estruturar os pensamentos, já que as instruções dadas devem ter uma sequência e ser definidas corretamente, evitando ambiguidades.

Comunicação das ideias

Com o pensamento computacional, os alunos são encorajados a buscar soluções, estipulando uma sequência de passos que devem ser seguidos para esse objetivo. Com tal exercício, eles aprendem a se comunicar de maneira clara e se expressar por meio de diferentes linguagens.

Nesse contexto, são incentivados a organizar melhor suas ideias, saber como transmiti-las aos outros colegas e também ouvir diferentes pontos de vista — visto que muitas das atividades que trabalham essa competência são realizadas em grupo. É também uma oportunidade de discutir os resultados encontrados, pensando em soluções conjuntas.

Aliás, o trabalho em equipe é fundamental para que crianças e adolescentes aprendam sobre empatia e cooperação — habilidades socioemocionais importantes para seu desenvolvimento e socialização.

Criatividade

A busca pela inovação é um dos objetivos trabalhados no pensamento computacional, estimulando, assim, a criatividade dos alunos. Eles precisam observar, aprender a se concentrar, interpretar o cenário e encontrar uma solução diferenciada para determinado processo.

A criatividade também é aflorada, porque os estudantes vão aprender “colocando a mão na massa”, já que podem testar hipóteses e exercitar também o pensamento científico. São incentivados a analisar, planejar, criar e executar um projeto.

Autonomia dos alunos

O modelo tradicional de ensino coloca crianças e adolescentes como figuras passivas na aquisição do conhecimento. Já a utilização do pensamento computacional inverte essa regra — eles são protagonistas do processo de aprendizagem, podendo criar, testar possibilidades, errar e tentar de novo até acertar.

Com isso, os estudantes ganham segurança na hora de aprender, lidar com os problemas e também se expressar. Eles ainda se sentem capazes de realizar algo, o que eleva sua autoestima.

Motivação com os estudos

As crianças e os adolescentes de hoje já nasceram em um mundo digital. Desse modo, estão acostumados com diferentes dispositivos e suas linguagens e formas de interação. Assim, se sentem mais à vontade para aprender com o dinamismo proporcionado por diferentes recursos tecnológicos.

Portanto, quando a escola direciona seus projetos para os anseios dessa nova geração, desenvolvendo o pensamento computacional, entra no universo dos alunos. O resultado? Eles passam a gostar de estudar e a convivência com os professores e colegas fica mais saudável.

Sem contar que os jovens se sentem motivados a descobrir e buscar o conhecimento, o que vai tornar o processo de aprendizagem algo prazeroso.

Preparação para os desafios do futuro

Talvez você pense que o desenvolvimento do pensamento computacional só terá valor para aqueles alunos que se interessarem por profissões relacionadas à tecnologia. Saiba que essa capacidade é essencial para que todas as crianças cresçam mais preparadas para os desafios do futuro, já que estamos falando do estímulo ao raciocínio lógico e à resolução de problemas de maneira crítica e estratégica.

Além disso, independentemente de a pessoa vir ou não a trabalhar com inovação, a habilidade vai ajudar a entender o mundo, que funciona cada vez mais com as tecnologias.

Então, não se trata de uma opção oferecer o pensamento computacional como parte do aprendizado de crianças e adolescentes, e sim de um aspecto essencial no currículo escolar, para que os alunos não fiquem para trás.

Agora você já sabe por que o pensamento computacional deve fazer parte da formação educacional. São diversos benefícios que o desenvolvimento dessa competência proporciona. Por isso, é preciso escolher uma escola para o seu filho que tenha foco nesse tema, como o Colégio Verbo Divino, que traz em 2020 a novidade da Aprendizagem Maker como a forma concreta de trabalhar o pensamento computacional.

Busca uma escola que trabalhe a linguagem digital com os alunos? Entre em contato e descubra todos os diferenciais da nossa instituição de ensino!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

2 Comentários

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.