educação interdisciplinar

Veja como a educação interdisciplinar pode ser trabalhada nas escolas

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC), documento que define as bases da Educação Básica em todo o Brasil, ressalta a importância da educação interdisciplinar na construção do conhecimento. Mas cabe aos coordenadores e professores o desafio de encontrar atividades, metodologias e tecnologias para promover essa abordagem em sala de aula.

Isso porque a BNCC deixa a cargo dos currículos as maneiras específicas de como a interdisciplinaridade deve ser promovida dentro das escolas. No decorrer deste post, vamos explicar como funciona a educação interdisciplinar e apresentar algumas práticas usadas no currículo das instituições. Confira!

O que é educação interdisciplinar?

Interdisciplinaridade é a conexão entre as diferentes disciplinas, quando se realiza um diálogo entre conceitos de duas ou mais áreas do conhecimento para dar um sentido comum a eles.

Essa conexão não anula ou reduz a qualidade dos conhecimentos produzidos nas áreas interligadas. A ideia é produzir novos pontos de vista que são muitas vezes inovadores sobre conhecimentos tradicionais. É uma maneia de desperta a atenção dos alunos para conexões que podem passar despercebidas com facilidade.

Um bom exemplo são as questões do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), que misturam assuntos de Geografia com a Biologia, Matemática e Física, entre outra combinações possíveis.

Para os professores, a interdisciplinaridade é uma maneira excelente de fugir do convencional e usar a criatividade para fazer novas conexões entre as disciplinas, além de estimular que os alunos façam o mesmo tipo de conexão, inclusive em provas e atividades avaliativas.

Como é trabalhada a educação interdisciplinar nas escolas?

Agora que você sabe o que é educação interdisciplinar e como é abordada no currículo das escolas, confira, logo abaixo, algumas metodologias com propostas interdisciplinares.

Estimulo à interdisciplinaridade com os professores

As várias atividades e abordagens interdisciplinares podem alterar uma rotina escolar ou o ritmo de aprendizado dos alunos. Por isso, é importante que exista um alinhamento entre os professores em torno dessa proposta.

Quando a interdisciplinaridade é um assunto discutido no planejamento pedagógico, não há o risco de dinâmicas fora da sala de aula serem incompatíveis com currículos mais tradicionais ou aulas de uma matéria acabarem antecipando assuntos de outras.

Por essa razão, é fundamental que os professores mantenham-se em constante diálogo a respeito dos assuntos trabalhados com os alunos, principalmente na realização de atividades que entrelaçam diferentes matérias do currículo escolar.

Quando professores identificam assuntos convergentes, fica até mais fácil pensar em soluções criativas para chamar a atenção dos alunos. Desses encontros, nascem boas oportunidades de entender como cada disciplina pode abordar o mesmo assunto.

A gamificação a favor do aprendizado

A gamificação é uma estratégia pedagógica que pode ser aplicada da Educação Infantil até o Ensino Médio. Esse conceito se refere à prática de adaptar o aprendizado dos assuntos aos formatos tradicionais de jogos ou “games”. Dessa forma, o aprendizado passa a exigir habilidades como a observação, a elaboração de hipóteses e a tomada de decisões.

Além de deixar tudo mais prazeroso e divertido, é uma proposta que estimula o lado lúdico, incentiva o caráter explorador e a autonomia das crianças, além de se mostra uma oportunidade de trazer a interdisciplinaridade para a sala de aula.

Powered by Rock Convert

Apesar de dialogar com os jogos eletrônicos, a gamificação não precisa ser necessariamente digital. Os elementos tradicionais dos jogos podem ser aplicados em dinâmicas offline, como as etapas para alcançar um objetivo, recompensas, um ranking e uma lição de moral no final da história.

As metodologias ativas

As metodologias ativas colocam o aluno no centro do processo de ensino, assumindo papel de protagonista e não agentes passivos. A escola e os professores que usam essas práticas pedagógicas assumem a figura de guias na construção dos conhecimentos, e não mais como detentores absolutos dos saberes.

Os alunos são estimulados a fazer leituras, participar de debates, planejar e apresentar trabalhos em equipe e propor estudos de caso com o objetivo de refletir sobre temas e discussões propostos pelos professores. O interesse e entusiasmo do aluno para aprender são componentes essenciais dessa abordagem.

Os exemplos de metodologia ativa no ensino que favorecem a interdisciplinaridade são vários, como é o caso da sala de aula invertida e a PBL (Project Based Learning ou Projeto de Aprendizagem).

Na sala de aula invertida, o aluno tem acesso ao conteúdo antecipadamente para estudar em casa, e o tempo de sala de aula é usado para tirar dúvidas com os professores e interagir com os colegas de turma. É o modelo adotado na educação híbrida.

Já o projeto de aprendizagem é um método de engajamento que permite aos alunos resolverem desafios de maneira colaborativa. O professor, nesse caso, atua como um mediador para instigar os alunos a pensar, chegar a conclusões e tomar decisões.

Explorando os diferentes recursos digitais

Tanto as atividades pedagógicas quanto as tarefas da gestão escolar tornaram-se quase indissociáveis dos recursos digitais, que podem ser usados das maneiras mais criativas possíveis.

Quando falamos sobre ensino e interdisciplinaridade, os professores podem promover a criação de blogs, podcasts e até tiktoks.

O podcast, por exemplo, é um formato digital dinâmico, de baixo custo, com forte penetração na juventude e que pode contribuir com os objetivos pedagógicos da escola. Alguns alunos até já têm o costume de fazer gravações para fixar os conteúdos e criar materiais de revisão.

Nesse caso, os professores podem criar materiais de apoio para os alunos por meio dos áudios. Com simples equipamentos de gravação, é possível capturar a fala do professor e disponibilizar os materiais na íntegra. O melhor de tudo é que o podcast é apenas um exemplo entre os vários recursos digitais que podem ser usados pelos professores.

Os materiais didáticos com propostas interdisciplinares

Além de propor atividades que reúnam diferentes disciplinas, é importante que os professores e coordenadores busquem livros didáticos que valorizem a interdisciplinaridade na abordagem dos assuntos.

Só há benefícios da educação interdisciplinar em sala de aula. Por essa razão, é importante que a escola do seu filho use as metodologias que valorizam essa abordagem. No Colégio Verbo Divino, por exemplo, a interdisciplinaridade é algo presente no currículo da Educação Infantil aos anos do Ensino Médio.

Gostou das dicas? Para saber mais sobre uma das abordagens inovadoras que trouxemos neste post, leia nosso post completo sobre a gamificação na educação.

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.