boletim escolar

Saiba como os pais devem lidar com o boletim escolar dos filhos

O boletim escolar é um registro do desempenho do aluno durante um período do ano letivo. Cada instituição tem a liberdade de determinar seu estilo de avaliação, ferramentas e recursos, nota mínima para aprovação, tipo de nota (letras, números, siglas etc.), bem como a periodicidade com que as notas são compiladas e divulgadas aos pais. 

Tudo isso varia conforme a metodologia utilizada e confirma os ideais da escola no processo avaliativo. Um boletim escolar eficaz é um documento que pode ser facilmente compreendido por aqueles a quem se destina ― pais e alunos. Por isso, deve fornecer informações diretas sobre o que o aluno sabe e pode demonstrar em relação ao currículo avaliado. 

Os pais, por sua vez, precisam saber interpretá-lo, a fim de reconhecer quais atitudes tomar diante das informações contidas no boletim escolar. Como esse é um dos importantes elos na parceria escola-família, criamos este artigo para que você consiga interpretar as notas do boletim escolar e ter as melhores ações diante de algum desapontamento com os resultados!

Qual a importância de interpretar o boletim escolar?

Introduzimos este artigo mostrando a você o que é um boletim escolar. Agora, mais que focar resultados positivos ou negativos, é importante entender o papel desse documento no aprendizado global do aluno. 

Saiba que a avaliação é um processo multifatorial, o qual envolve muitas questões além da absorção dos conteúdos e sua reprodução em testes e trabalhos para nota. No entanto, o boletim acaba se tornando uma preocupação somente quando as notas começam a vir baixas, desapontando as expectativas dos pais em relação ao desempenho escolar dos filhos. 

Acontece que a nota baixa é reflexo de situações pelas quais os alunos estão passando, por exemplo:

  • procrastinação em estudar porque não se identifica com determinada matéria;
  • metodologia da escola/professor não é adequada ao estilo de aprendizagem do aluno;
  • estar enfrentando algum estágio de dificuldade de aprendizagem;
  • problemas de relacionamento com colegas ou situações de bullying;
  • problemas em casa, como doença na família ou separação dos pais;
  • ter incômodo com o professor da disciplina;
  • saber o conteúdo, mas sentir nervosismo extremo durante as provas;
  • disfunções físicas ou psicológicas;
  • habilidades socioemocionais pouco desenvolvidas;
  • nutrir sentimentos de incapacidade quanto a certas disciplinas;
  • estudar somente para as provas.

O principal ponto da interpretação de um boletim escolar é entender que as notas podem variar naturalmente de um período para outro, assim como de disciplina para disciplina.

Nesse sentido, é importante compreender que pequenas oscilações de pontuação não significam problemas de aprendizagem, apenas flutuações naturais do processo pedagógico.

Já, quando as notas estão baixas em muitas disciplinas, isso pode ser um indicador de questões mais profundas no aprendizado, o que exige um diálogo claro e uma atitude conjunta da escola e família. Mas como reagir a essa situação? É sobre isso que falaremos no próximo tópico.

Como os pais devem lidar com o boletim escolar dos filhos?

Agora, vamos dar algumas dicas de como lidar com boletim escolar, especialmente quando as notas são baixas. Confira, a seguir.

Analise as médias das disciplinas

Ao pegar o boletim, compare as médias de todas as disciplinas e verifique em quais houve desempenho mais baixo. Perceba se as matérias com notas menores pertencem à mesma área de conhecimento, ou se são matérias isoladas.

Isso ajuda a perceber se existe uma questão com um conjunto de disciplinas, ou se trata de uma dificuldade específica.

Faça comparações entre os boletins

Depois de analisar o boletim escolar mais recente, é fundamental comparar os boletins anteriores. Assim, você tem uma dimensão se as notas baixas são momentâneas ou refletem um desempenho aquém do ideal há certo tempo.

Powered by Rock Convert

Dessa forma, é possível começar a formar uma opinião sobre o que está acontecendo de verdade, por exemplo, se a nota baixa reflete uma dificuldade sobre determinados conteúdos ou se é uma situação constante nessas disciplinas.

Verifique as faltas

Ter muitas faltas, obviamente, prejudica o desempenho escolar. Além de ter de correr atrás de conteúdos que serão avaliados, o aluno também perde oportunidades de interação social que contribuem para o aprendizado, tais como trabalhos em grupos ou estreitar laços de amizade.

Mas é preciso entender por quais razões houve excesso de faltas, e isso acende um sinal de alerta, especialmente se os filhos vão sozinhos para a escola. Alguns motivos para faltas excessivas são:

  • doença na família ou tratamento médico;
  • sair mais cedo da escola constantemente;
  • suspensões por comportamento;
  • dificuldade dos pais em levarem os filhos para a escola;
  • questões familiares;
  • faltar à escola de propósito (“matar aula”);
  • fazer viagens com a família durante o período letivo;
  • mudança de endereço, entre outros.

Se você precisar que seu(sua) filho(a) falte por um longo período, informe imediatamente à escola.

Não se descontrole emocionalmente

A primeira reação comum dos pais diante de notas baixas é repreender os filhos e, às vezes, oferecer punições. Entendemos que o sentimento de decepção e nervosismo acontece, afinal, fica a sensação de que o investimento na escola não valeu nada.

Porém, é preciso controlar as emoções e agir de maneira racional diante do mau desempenho nas notas. Do contrário, o desgaste poderá ser ainda maior e, caso as notas baixas se repitam, o aluno pode tomar atitudes desagradáveis, como esconder o boletim ou resistir aos estudos para melhorar.

Converse sobre as dificuldades

A atitude mais correta diante de um boletim escolar fraco é o diálogo. Em primeiro lugar, chame seu(sua) filho(a) para uma conversa franca e amigável. Demonstre que, não importa o que esteja acontecendo, você é a pessoa em quem mais ele(a) pode confiar.

Depois disso, procure a escola e marque uma reunião individual com a coordenação e professores responsáveis. Conforme o caso, busque apoio do setor de psicologia e peça orientações.

Estabeleça uma rotina de estudos

Em muitos casos, a recuperação do desempenho acontece com uma simples reorganização da rotina de estudos, para que os filhos dediquem todos os dias algum tempo para rever os conteúdos vistos ao longo das aulas.

Isso ajuda não apenas a absorver as informações, como também favorece maior autoconfiança na hora de fazer as avaliações. Mesmo que haja resistência, incentive seu(sua) filho(a) a criar esse hábito, mostrando os benefícios e fazendo combinados.

Algumas atitudes práticas para essa rotina são:

  • combine uma a duas horas por dia para os estudos, conforme a necessidade;
  • confira as lições de casa, trabalhos, provas e conteúdos;
  • dê mais espaço às disciplinas onde há mais dificuldade;
  • crie um ambiente adequado e silencioso;
  • estabeleça tempos de estudo conforme a produtividade de seu(sua) filho(a) ;
  • combine tempos de foco total com minutos de descanso;
  • garanta que não haja dispersão com celulares, TV e jogos;
  • elogie ao término das tarefas.

Esperamos que essas dicas e reflexões ajudem você a lidar com o boletim escolar das crianças. Lembre-se de que em caso de qualquer dúvida ou observação, é preciso entrar em contato com a escola. Dessa forma, a parceria fica mais forte e todos são beneficiados!

Gostou deste conteúdo? Então, curta nossos perfis nas redes sociais! Estamos no Facebook, Instagram, Flickr e YouTube!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.